24 maio 2017

Resenha - Um Amor Incômodo

Nome: Um Amor Incômodo
Original: L'amore molesto
Autor (a): Elena Ferrante
Editora: Intrínseca
Sinopse:Aos quarenta e cinco anos, Delia retorna a sua cidade natal, Nápoles, na Itália, para enterrar a mãe, Amalia, encontrada morta numa praia em circunstâncias suspeitas: a humilde costureira, que se acostumou a esconder a beleza com peças simples e sem graça, usava nada além de um sutiã caro no momento da morte.
Revelações perturbadoras a respeito dos últimos dias de Amalia impelem Delia a descobrir a verdade por trás do trágico acontecimento. Avançando pelas ruas caóticas e sufocantes de sua infância, a filha vai confrontar os três homens que figuraram de forma proeminente no passado de sua mãe: o irmão irascível de Amalia, conhecido por lançar insultos indistintamente a conhecidos e estranhos; o ex-marido, pai de Delia, um pintor medíocre que não se importava em desrespeitar a esposa em público; e Caserta, uma figura sombria e lasciva, cujo casamento nunca o impediu de cortejar outras mulheres.
Na mistura desorientadora de fantasia e realidade suscitada pelas emoções que vêm à tona dessa investigação, Delia se vê obrigada a reviver um passado cuja crueza ganha contornos vívidos na prosa elegante de Elena Ferrante.

Um Amor Incômodo foi o primeiro livro da Elena Ferrante que li. E o título não poderia ter feito mais jus à minha primeira experiência para com a autora, foi uma leitura incômoda.

A história é sobre Delia e a recente morte misteriosa de sua mãe. Amalia morreu no mar, vestida apenas com um sutiã que não fazia muito o estilo de roupas que ela usaria. Sua filha ao mesmo tempo que lamenta essa perda, sente-se um pouco aliviada. Como ela poderia sentir-se dessa forma em relação à morte de sua própria mãe? Ao longo da narrativa iremos descobrir o relacionamento estranho e conturbado entre elas.

No decorrer dos capítulos entramos em contato com outros personagens, importantes para compreender a história de Delia e Amalia. É preciso deixar claro que a história da protagonista perpassa em absolutamente tudo a história de sua mãe. Caserta seria o possível atual namorado de Amalia, uma paixão antiga que conturbou e muito o relacionamento dela com o pai de Delia. Este extremamente ciumento e agressivo, maltratou e muito Amalia, e mesmo após mais de 20 anos separados, ele continuava a assombrar a vida da senhora.


Eu citei anteriormente o quanto essa leitura foi incômoda para mim, fazendo um trocadilho com o título da obra e irei explicar os motivos. A escrita de Elena Ferrante, neste livro, é confusa e prolixa, um dos motivos para a leitura não fluir tão bem a leitura, porém a história em si foi o que mais me incomodou. Caótica em algumas partes, as cenas de conflito, pela perspectiva de Delia quando criança, entre seus pais, com a violência verbal e física sofrida pela sua mãe, foi angustiante de ler. A autora aqui traz um ponto forte: retratar a violência dos homens contra mulheres de uma forma bem próxima do real, sem idealismos e com forte crítica social. Mas acredito que ler tais cenas só incomodou mais por eu também ter vivenciado um ambiente como esse, quando pequena. Não com o mesmo nível de violência, porém tenso e conflitante como Delia viveu quando criança. A leitura então se tornou algo pessoal, revivendo episódios traumáticos e extremamente conflitantes na cabeça de uma criança.

Ser uma leitura que incomoda é algo positivo, pois a autora soube sensibilizar seu leitor. Porém, a obra é cheia de cenas desnecessárias, ao meu ver. E a escrita é caótica, como citei anteriormente, mas não de uma forma que perpasse em nossa leitura a ideia de fluxo de consciência, mas simplesmente confusa. Ao ler as cenas muito bem descritas pela autora, imaginei cenas confusas de um filme, pelas descrições imagéticas e bem detalhadas, porém, nem sempre foi algo que agradou pelas "quebras" da narrativa.

Por fim, como primeira leitura de Elena Ferrante - tão bem falada em canais e blogs literários atualmente - preciso de outra experiência para firmar alguma opinião sobre a autora e seus escritos. Um Amor Incômodo não cativou minha atenção ou meu gosto, mas espero ter outras oportunidades de leitura da autora.

8 comentários:

  1. Impossível descrever o quanto seu blog é lindo, fiquei apaixonada pelo layout. Amei sua resenha, já anotei a dica! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  2. É bom saber que está sendo conseguido chamar cada vez mais atenção para a gravidade da violência contra a mulher, até então não tinha conhecido nenhum livro com esse tema, é uma pena que não foi uma experiência tão agradável. Sem contar que como alguém que como vc, também viveu em um lar um pouco desestruturado, por assim dizer, acho que também me incomodaria um pouco com o tema, além da forma caótica de escrita dela. Nunca tinha ouvido falar da autora.
    Gostei muito do post. :3

    Beijos,
    Madame Poison

    ResponderExcluir
  3. Tente "A filha perdida". Espero que goste mais.
    bjão
    www.jeniffergeraldine.com

    ResponderExcluir
  4. Oie Jen =)

    Confesso que esse livro passaria batido por mim em uma livraria, por exemplo. A premissa da história é realmente boa, mas parece que a autora peca um pouco no desenvolvimento, não é?

    Acredito que os pontos que te incomodaram seriam os mesmo que me incomodariam também, porém ainda sim acho que é uma leitura válida.

    Pelo menos vou tentar dar uma chance rs...

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  5. Oie,
    Fiquei entre ler e não ler. Mas acho que vou ficar com Não Ler.
    Gosto de mistérios e suspenses, e quando comecei a ler achei interessante, já esperando isso do livro. Mas quando você escreveu sobre a escrita caótica da autora, me desmotivou completamente.

    Beeijooo!!!
    Grazy
    Meus Antídotos {meusantidotos.blogspot.com.br}

    ResponderExcluir
  6. Hey Jen!!!
    QUepena que um amor incomodo foi um incomod tanto na leitura quanto no enredo, com seus pontos bons e ruins, é claro
    putz
    sério que tem cenas de violencia? :/
    putzzz ainda mais que voCê ja teve a experiencia... isso não deve ter sido legal, de fato :/

    Bem, que venham outras leituras com elena ferrante, que ela possa te cativar :)
    ainda nao tentei nada dela rsrs
    beijocas
    pâm - www.interruptedreamer.com

    ResponderExcluir
  7. Ótima resenha! Não conhecia o livro e nem a autora, mas essa sinopse me chamou bastante atenção. Apesar das coisas que te desagradaram, vou tentar ler assim que possível :D

    Com amor,
    Steph • Não é Berlim

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo